O crescimento do Live Training

Durante muito tempo, a formação em modo presencial foi vista como a principal metodologia a seguir. No entanto, dada a situação pandémica atual e a reformulação do tradicional local de trabalho, a formação virtual ganhou terreno e apresenta hoje muitos mais benefícios.

Até há pouco, considerávamos a formação cara-a-cara como a forma primordial de aprendizagem. Sob as opções remotas pairava uma série de mitos e crenças erradas que levavam os formandos a preferir fazer formações presenciais.

Mas depois de um momento desafiante como o que vivemos é imperativo repensar estratégias e práticas. Tal como o modelo de trabalho e de produção se alterou graças às ferramentas digitais, também a área da formação se transformou para acomodar em grande escala soluções remotas e virtuais – as únicas, agora, viáveis.

Na Olisipo trabalhamos também nesse sentido e a formação remota ganhou um destaque exponencial neste contexto. Embora a formação assíncrona já fosse promovida, através da utilização da plataforma Udemy, a modalidade de transmissão em direto foi a nossa grande aposta.

As formações outrora em sala de aula passaram, assim, para o regime de Live Training, onde alunos e formador partilham uma sala virtual em tempo real. Há espaço para interação e oportunidades para transformar métodos de ensino e de aprendizagem.

Naturalmente, esta mudança exigiu uma adaptação de todos os envolvidos, de forma a aproveitar ao máximo as vantagens que oferece. No caso específico dos nossos formadores, além de frequentarem algumas formações desenhadas para a aprendizagem remota, transformaram o seu mindset de trabalho onde cada ação formativa é uma oportunidade de aprendizagem e melhoria permanente.

Pelas diferenças face à formação em sala de aula, a formação remota parece apresentar, à primeira vista, algumas desvantagens, nomeadamente:

  • pouca interação social com maior simultaneidade
  • falta de um espaço partilhado
  • menor energia de conexão e foco entre os participantes
  • grande dependência do trabalho em ecrã, o que pode aumentar o cansaço

Apesar destes potenciais pontos desfavoráveis na formação à distância, é possível adaptar soluções e transformá-las em vantagens face à forma tradicional em sala de aula.

Há uma série de oportunidades para explorar no novo modelo de formação remota e para o conseguir com sucesso devemos seguir uma abordagem em que o virtual pode ser superior à abordagem tradicional, focando-nos nos pontos em que realmente é possível este modelo sobrepor-se à experiência de sala de aula.

6 Vantagens da formação remota

Orientação para o formando

Numa formação virtual, o formando ganha um papel muito relevante no sucesso da própria ação de formação. Dotado de uma confiança acrescida, é responsável pela sua participação: deve conferir se está ligado, se a conexão funciona, se tem todos os materiais necessários preparados, se está presente e intervém…

Impor esta responsabilidade pode ser desafiante, mas é uma das melhores estratégias para o crescimento do formando.

Conveniência

Participar numa formação à distância é mais fácil do que em muitas formações presenciais. Fazer login na plataforma de formação e aceder à internet é bastante mais simples e conveniente do que deslocarmo-nos para o local de formação presencial, pagar alojamento quando necessário e perder tempo no trânsito ou com transportes a caminho do local.

As formações virtuais, pelo contrário, permitem que o formando escolha o lugar ideal e as condições perfeitas para si.

Inclusividade

Seja qual for a localização do formando, as suas necessidades ou preferências, é possível participar numa formação remota de forma totalmente funcional e confortável. No caso dos cursos assíncronos, podem ser frequentados conforme disponibilidade do formando; é este quem decide quando o fazer, o ritmo e a intensidade a seguir.

É possível personalizar a formação remota para atender a uma série de necessidades e de localizações, chegando a mais formandos e dado hipótese a quem, antes, não teria condições de frequentar o curso.

Flexibilidade

Ao contrário de algumas formações cara a cara, a formação remota é o espaço ideal para formandos com diferentes estilos de aprendizagem. Poderá ser o melhor ambiente para personalidades introvertidas, para quem gosta de estar em silêncio e mais concentrado ou para aqueles que querem ter controlo total do momento.

O mundo virtual apresenta mais oportunidades para a coexistência dos vários estilos de aprendizagem, contribuindo para o sucesso de todos os formandos.

Retenção do conhecimento

Pelo facto de a formação remota se realizar de forma mais confortável, o foco do formando é maior e, por isso, poderá facilitar a retenção dos conhecimentos aqui transmitidos.

Há ainda a possibilidade de rever matéria dada e refazer exercícios dados, seja porque a formação é gravada e fica disponível para os formandos ou porque é realizada de forma assíncrona e, assim, é possível aceder à matéria as vezes que se desejar.

Escalabilidade

Na sua generalidade, a formação remota permite acolher um maior número de participantes. Além disso, a logística de gestão do espaço transforma-se e é possível resolver qualquer situação de imediato.

Assim, é possível reduzir os custos do próprio curso, permitindo que mais formandos participem em ações onde antes lhes era difícil.

Segurança e conforto

Uma vez que os formandos se encontram nos seus espaços seguros, o nível de conforto e à vontade tende a aumentar. É possível cada formando adaptar o que o rodeia, escolher o espaço que mais lhe agrada e gerir o horário em que realiza formação assíncrona.

Uma vez reunindo experiência e técnica, será a formação remota sempre bem sucedida? Possivelmente não, já que há três fatores essenciais que não controlamos:

  • Compromisso do formando com os resultados da formação
  • Espaço na agenda do formando para se dedicar à formação
  • Tecnologia e ferramentas para acompanhar e facilitar a formação

Para tirar o máximo partido destas vantagens, a formação remota deve ser pensada e desenhada com cuidado, minúcia e criatividade. Ao mesmo tempo, deve ter-se em atenção as necessidades específicas dos formandos e o bom funcionamento das ferramentas digitais, assim como é preciso contar com o fator de erro e com elementos que não conseguimos controlar.

O que dizem os nossos formandos?

Joana Cidades

Joana Cidades

Brand and Marketing Manager

Yeah!

Your message was successful sent.

OK

Hey

We use cookies to offer you a better browsing experience, analyse site traffic, presonalize content, and serve targeted ads. Read how we use cookies and how you can control them in our “Cookie Settings”.
By using our site, you consent to our use of cookies.

> Cookie Settings

√ Accept Cookies