O guia para arranjar emprego em Tecnologia

O mundo das TI está repleto de oportunidades e cresce a olhos vistos todos os dias. As tecnologias marcam o nosso quotidiano de forma impressionante e o mercado abre cada vez mais espaço para novos talentos. Se também tu queres arranjar emprego na área das TI ou queres levar a tua carreira a outro nível, fica a saber quais são os pontos chave nesse processo.

A importância de um bom CV 

O currículo é a tua primeira forma de apresentação no processo de recrutamento, mostrando o essencial sobre ti enquanto pessoa e profissional. 


É este que identifica quem és, o que fazes, como se desenrola o teu percurso profissional, o que desenvolves, de que forma trabalhas a tua formação, quais as tuas valências e até ambições na vida profissional. 


Pelo tipo de dados que apresenta, o CV é a fonte de informação primordial para que a empresa te possa enquadrar nas suas oportunidades.

Mas um CV que se dispersa por informação excessiva e desnecessária ou, por outro lado, está incompleto e sem os dados relevantes, traz dúvidas e deita o processo por terra.

É muito importante que o teu currículo esteja bem construído, que por si sustente e defenda as tuas experiências profissionais, formação e soft skills. Neste sentido, organiza a experiência profissional desde a mais recente para a mais antiga.

Dica bónus 🔥

Pede a alguém para ver o teu CV e pergunta se tudo o que escreveste é corretamente interpretado.

O CV enquanto portefólio

Dependendo da função que pretendes ocupar, investiga a importância de criares um portefólio do teu trabalho e projetos. Este vai servir como uma montra e complementa o teu currículo, mostrando na prática o que criaste.

O portefólio torna-se relevante sobretudo quando não tens muita experiência de trabalho mas criaste projetos de forma autónoma e como forma de exemplificar, visualmente, os teus conhecimentos e capacidades.

Dica bónus 🔥

Constrói este portefólio se trabalhas em Webdesign, Programação e Desenvolvimento de aplicações. Faz o exercício de descrever num pequeno parágrafo cada projeto em que vais estando envolvido ao longo das tuas experiências profissionais.

O conhecimento da função

Se há alguma regra de ouro na candidatura a uma oportunidade de trabalho, é esta: não mintas sobre as tuas skills!

Seja para ferramentas, programas digitais ou linguagens de programação, deverás manter a verdade e a realidade sempre presentes. 


Todos gostaríamos de ser experts numa série de assuntos, mas quando isso não se verifica o melhor é manter a sinceridade e assumir que há técnicas com que não sabemos trabalhar.


Esta boa prática deverá orientar todas as tuas candidaturas. Além de te poupar tempo no envio do CV apenas para projetos que condizem com o teu perfil, também torna a entrevista mais simples porque estás confortável com o que apresentas sobre ti. 

Para completares o melhor possível o teu CV, identifica as ferramentas e frameworks que trabalhaste em cada experiência profissional.

Dica bónus 🔥

Se queres candidatar-te a uma função para a qual não tens todos os requisitos, sê honesto e identifica isso no email de candidatura; justifica porque queres a posição e porque serias a melhor escolha, colmatando o facto de não teres o nível de expertise pedido para determinado requisito.

O perfil no LinkedIn

Aqui está um ponto bastante importante na pesquisa ativa de um ótimo emprego em TI, mas que é relegado para segundo (se não mesmo terceiro) plano para muitos candidatos. 

O perfil de LinkedIn é o novo cartão de visita de um profissional, mas mais útil por ser um currículo que os empregadores podem consultar em tempo real. Deves mantê-lo sempre atualizado e bem completo a nível de experiência, formação e outras competências

As conexões no LinkedIn podem trazer-te excelentes oportunidades de trabalho, onde consegues até entrar em contacto com os recrutadores que mais te interessam e descobrir mais sobre a empresa na sua página oficial .

Assim, talvez seja boa ideia filtrares os pedidos que te chegam e aqueles que envias, focando-te no benefício que podes dali podes retirar ou gerar.


Personalizar a mensagem que envias às conexões é uma boa estratégia para estabeleceres contacto com recrutadores. Além de mostrar que te empenhaste num contacto personalizado, esta mensagem mostra claramente o teu objetivo com a conexão – arranjar emprego – e elimina obstáculos na comunicação.


Mas atenção aos processos de recrutamento que aqui surgem, muitas vezes sob forma de chat em grupo. Neste formato de mensagens, há alguém responsável por administrar o grupo e convidar pessoas a fazer parte da conversa. É importante perceberes porque razão te convidaram a fazer parte do processo e colocares questões sobre:

  • como decorre o processo de recrutamento
  • quais são as próximas etapas
  • quem são os responsáveis pela gestão do processo e dos candidatos
  • com quem podes esclarecer dúvidas que surjam
  • de que forma serão usados os dados que ali forneces

Dica bónus 🔥

Podes editar os campos “Headline” e “About” do perfil no LinkedIn, incluindo desde logo informação sobre a posição que estás à procura e um resumo do teu perfil. Assim, quando um potencial empregador vir o teu perfil irá ler esses detalhes em primeiro lugar.

Relevância das plataformas de anúncios focados na área

Quando chega o momento de procurar emprego online, compreendemos a frustração sentida… Há inúmeras plataformas de anúncios, alguns sites apresentam uma panóplia de áreas diferentes, os anúncios para uma só posição repetem-se pelos diferentes sites. Todo o processo se torna demorado, aborrecido e pouco entusiasmante.

Para combater isso, o nosso conselho passa por pesquisares vagas em plataformas de anúncios focados na área de TI, como o IT Jobs, onde mais facilmente procuras posições de acordo com o teu perfil e objetivo. A partir destas páginas, podes ainda descobrir empresas de TI e ir diretamente aos sites para ficares a conhecê-las.

No nosso caso, o site oficial da Olisipo é uma ótima “porta de entrada” para uma carreira em TI. Além de apresentarmos as oportunidades em aberto nos nossos projetos, o CV que aqui submetes fica na nossa base de dados e é analisado para funções que vão ao encontro do que pretendes.

Dica bónus 🔥

Se a empresa para que te estás a candidatar tiver oportunidades noutra plataforma e também numa página do seu próprio site, envia o teu CV ou candidatura em ambos.

Estar certo da vaga que se quer ocupar

Se tiveres uma ideia clara das funções que pretendes ocupar, torna-se mais simples e rápido encontrares as oportunidades certas em TI. 


Conheceres bem o teu perfil, os teus pontos fortes e os teus objetivos no mundo profissional são mais valias na hora de procurar emprego. Com isto em mente, poderás afunilar a tua pesquisa e encontrar as vagas mais relevantes. 


Se no entanto sentires que precisas de ajuda neste complexo mundo das TI, podes beneficiar de apoio na mentoria de carreira, como desenvolvemos na Olisipo. Ao explorares gostos, conhecimentos e ambições poderás descobrir qual o caminho a seguir para levares a tua carreira em TI ao próximo nível.

Além disto, não tens de ficar “preso” à mesma função para sempre. Se os teus objetivos mudam, podes trabalhar para a evolução ou reconversão de carreira sempre dentro da Olisipo. Aqui podes transitar entre projetos de acordo com o que pretendes e com as tuas competências, dando a possibilidade de cresceres em diferentes direções e te redescobrires enquanto profissional de TI.

Dica bónus 🔥

Se estás interessado na posição, candidata-te mesmo que não tenhas todos os requisitos. Muitas vezes as empresas pedem perfis utópicos para a função em causa, mesmo sabendo que é difícil encontrar alguém que preencha todos os requisitos. Por isso envia a tua candidatura sempre que te consideres capaz de desempenhar a função.

Preparar a entrevista

Sabemos que o momento de entrevista pode causar alguma ansiedade pela importância que tem na vida profissional.

Há inúmeros conselhos que se podem dar, mas aqui ficam 4 que consideramos essenciais:

  • Estuda o CV e prepara respostas – conhecendo o currículo de fio a pavio torna-se mais simples responder às perguntas colocadas pelo recrutador durante a entrevista. Prepara algumas respostas sobre o percurso profissional, as ambições na carreira, os objetivos a longo prazo, mas também sobre as ferramentas que dominas, quais pretendes aprender e que tipo de projetos gostavas de integrar.
  • Adapta-te à formalidade – procura saber mais sobre o estilo da empresa onde vais realizar a entrevista. Conhecer o nível de formalidade permite-te adaptar o teu estilo, tanto na roupa como na atitude e na linguagem, e assim ficares alinhado com o da empresa.
  • Estar atento e presente – a tua postura ao longo da entrevista deverá mostrar que estás interessado na posição e que queres conhecer todos os detalhes. Mantém-te atento ao que te é dito, retém todas as informações, faz perguntas se tiveres dúvidas e garante que tudo fica esclarecido. A cordialidade e a postura profissional devem estar presentes do início ao fim.
  • Prepara perguntas finais – aproveita ainda para colocar questões mais específicas sobre a empresa, como a dimensão da equipa com que irás trabalhar, qual a cultura seguida e a missão global, que desafios vão surgir, quais as oportunidades de progressão, se há plano de formação…)

Dica bónus 🔥

Procura o perfil do recrutador e/ou da empresa para te informares sobre aspetos relevantes como as áreas de negócio que desenvolve, há quanto tempo existe no mercado, quais são os valores defendidos ou para que clientes trabalha.

Saber rejeitar uma proposta corretamente

Para terminar, não podíamos deixar de referir um aspeto bastante importante no processo de recrutamento, que se prende com a rejeição da proposta feita.

Naturalmente, haverá vagas que não te interessam tanto ou que, no decorrer do processo, se mostram pouco compatíveis com o que desejavas.

Se percebes que não é aquela a posição que queres, é importante que manifestes essa decisão de forma correta. Expõe a rejeição da posição de forma honesta. 


É importante mostrares uma atitude transparente quando não pretendes ocupar a vaga, garantindo que ficas com boas relações com a empresa e manténs a porta aberta para outras oportunidades.


Discutir salários e benefícios, tirar dúvidas e tomar uma decisão são fases anteriores à assinatura do contrato – chegar aí pressupõe que aceitas o que foi falado até então e que todos os pontos estão acordados mutuamente. Não deves esperar pela celebração do compromisso para rejeitar a vaga, correndo o risco de passar uma má imagem para a entidade empregadora.

Dica bónus 🔥

Certifica-te que o salário e a localização do projeto em causa são viáveis para ti. São estes os principais fatores para quem abdica de uma vaga à última hora. Cumpre também com a tua palavra e não esperes pelo último momento para receber uma proposta superior de outra empresa, colocando em causa todo o processo de recrutamento para uma posição que estava praticamente preenchida por ti.

Concluindo…

Há vários aspetos relevantes a ter em consideração na procura e candidatura eficaz de um emprego, sobretudo na área da TI onde a oferta é imensa e por vezes confusa.

  • Foca-te na boa construção do teu CV para agilizar o processo de análise de um recrutador
  • Procura as oportunidades nos sites certos
  • Tem em mente as tarefas que queres desempenhar
  • Faz um pouco de investigação antes da entrevista e prepara as tuas respostas

Com estas dicas em mente, poderás encontrar e arranjar mais facilmente as oportunidades certas para ti.


Artigo escrito em parceria com Paula Peixoto (Head of HR) e Sandra Viegas (Head of Talent)

Joana Cidades

Brand and Marketing Manager

Yeah!

Your message was successful sent.

OK

Hey

We use cookies to offer you a better browsing experience, analyse site traffic, presonalize content, and serve targeted ads. Read how we use cookies and how you can control them in our “Cookie Settings”.
By using our site, you consent to our use of cookies.

> Cookie Settings

√ Accept Cookies